Prática de instrumentos de sopro: Madeiras

O estudo harmônico do instrumento de sopro. Estudos de técnicas e recursos expressivos dos instrumentos de sopro (madeiras) voltados para a execução da Música Popular Brasileira, em seus diversos gêneros e estilos. Estudo dos acordes e arpejos e suas relações harmônicas. A Prática de música em grupo  e a criação coletiva. Estudos técnicos avançados. Articulação.  Percepção harmônica, rítmica e melódica. Execução e interpretação de arranjos.

Público-alvo: 

Instrumentistas de sopros-madeiras: flauta, clarinete e saxofone.

Pré-requisitos: 

Ter no mínimo 04 anos de prática no seu instrumento. Ter conhecimento de leitura musical. 

Sobre Joana Queiroz:

Clarinetista, saxofonista e compositora, tem extensa atuação nos meios musicais principalmente do Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, já tendo dividido os palcos e estúdios com músicos como Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti, Arrigo Barnabé, Gilberto Gil, Joyce, Mônica Salmaso, Carlos Aguirre,  Arismar do Espirito Santo, Ná Ozetti, Virgínia Rodrigues, entre muitos outros. Integrante do grupo Quartabê, Joana sempre colaborou com compositores de sua geração, tocando nos trabalhos de músicos como Rafael Martini, Alexandre Andrés, Antonio Loureiro, Mariá Portugal, entre outros. 

Desde 2012 desenvolve seu próprio trabalho autoral com o qual tem se apresentado em diversas cidades do Brasil e do exterior, tendo lançado os discos “Uma Maneira de Dizer”, “Boa Noite para Falar com o Mar” e “Diários de Vento”. Paralelamente ao trabalho de instrumentista, tem desenvolvido um trabalho didático com as Oficinas de Criação Coletiva e Prática de Conjunto, com atuação junto às diversas residências e festivais. Em 2020, atuou como professora na Oficina de Música de Curitiba, dando aulas de instrumento (clarinete e clarone) e prática de conjunto (criação coletiva). Deu aulas no projeto “Territórios de Invenção”, em Varginha,  Oficinas de Criação Coletiva no Sesc Curitiba, Festival  MIA (Araçatuba), na Áudio Rebel, em 2018; no projeto Residência Ibermúsicas no Paraná (Argentina), em Terrauna (Bocaina de Minas), no Mimo Festival (Parati) em 2017, assim como aulas online com enfoque no estudo harmônico no instrumento de sopro. Durante 10 anos  integrou a Itiberê Orquestra Família, (do baixista Itiberê Zwarg) com a qual gravou três discos e participou de diversas turnês. Participou da gravação  do disco “Mundo Verde Esperança” de Hermeto Pascoal e grupo. Em  2015, inicia o grupo Quartabê, com o qual passa a se apresentar intensamente pelo Brasil e pela Europa, tendo participado de Festivais em países como Alemanha (Moers Festival), Holanda (Music Meeting), Áustria (Jazz in the City), Portugal (Jazz ao Centro; Casa da Música do Porto), Japão (Frue) entre outros. Em 2016, lança pelo selo japonês “Spiral” o disco “Gesto”, em trio com Rafael Martini e Bernardo Ramos, e mais dois CDs autorais: “Boa Noite pra Falar com o Mar”, com formação de sexteto, e “Diários de Vento”, fruto de uma residência artística de composição na Ecovila TerraUna para a qual foi selecionada. Em 2017, estreia no MIMO Festival a transposição deste disco para o palco, se apresentando sozinha em cena pela primeira vez. Desde então, passa a se dedicar mais a este projeto solo (que conta com recursos como loops e pedais de efeitos), tendo sido selecionada pela instituição “Ibermúsicas” para  aprofundá-lo numa residência de composição na Argentina em 2018. Em 2019, lança no Japão, também pelo selo Spiral, seu último disco, “Tempo Sem Tempo”, lançado no Brasil em 2020.

Data

jul 26 2021
Expired!

Tempo

10:00 - 12:00

Local Time

  • Timezone: America/New_York
  • Date: jul 26 2021
  • Time: 09:00 - 11:00
Categoria

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support